Salvador Dalí – Principais Obras, Biografia Resumida, Surrealismo

Cursos Grátis Online com Certificado. São mais de 2000 Cursos. Clique no botão abaixo e escolha seu curso:

LISTA DE CURSOS

Quem é Salvador Dalí?

Salvador Domingo Felipe Jacinto Dalí i Domènech, conhecido como Salvador Dalí, nasceu no dia 11 de maio de 1904, na cidade espanhola de Figueres (Catalunha).

Dalí é um dos mais importantes artistas plásticos (pintor e escultor) surrealistas da Espanha.

Desde pequeno, Dalí já demonstrava interesse pelas artes plásticas. Em 1921 entrou para a Escola de Belas Artes de São Fernando, localizada na cidade de Madri. Mas em 1926, foi expulso desta instituição, pois declarava que ninguém era capaz para avaliá-lo.

Neste período, conviveu com diversos cineastas, artistas e escritores famosos, como; Luis Bruñel, Rafael Alberti e Frederico Garcia Lorca.

Em 1929, viajou para Paris e conheceu Pablo Picasso, artista que o influenciou bastante. No ano seguinte, integrou no movimento artístico chamado surrealismo.

Em 1939, também foi expulso do movimento surrealista, porém dessa vez pelos seus pensamentos políticos.

Em 1942, Dali e sua esposa se mudaram para os Estados Unidos, país no qual ficou até 1948. Voltou para a Catalunha em 1949, onde permaneceu até o final de sua vida em 23 de janeiro de 1989, onde faleceu de pneumonia e parada cardíaca.

Biografia

Paris e Madrid

Em outubro de 1921, Dalí se mudou para Madrid, e estudou na Academia de Artes de San Fernando. Nesse período, Dalí já despertava a atenção nas ruas com um exótico cabelo comprido, um laço ao pescoço, calças até ao joelho, meias altas e casacos longos.

Cursos Grátis Online com Certificado. São mais de 2000 Cursos. Clique no botão abaixo e escolha seu curso:

LISTA DE CURSOS

Fez experiências com o Dadaísmo, influenciando todo o sue trabalho. Também se tornou amigo do poeta Federico García Lorca e de Luis Buñuel.

Salvador Dali A Tentação de Santo Antônio
A Tentação de Santo Antônio, 1946

Em 1926, Dalí foi expulso da Academia, declarando que ninguém era competente para avalia-lo.

Pablo Picasso era admirado pelo jovem Dalí e em 1929 teve a oportunidade de conhecê-lo. Realizou uma série de trabalhos desenvolvendo o seu estilo próprio.

Personalidade e política

A política teve um papel importante em sua fase como artista. Dalí foi retratado como um grande incentivador do autoritário Francisco Franco.

O seu posicionamento político fez com que ele fosse expulso do movimento surrealista. No sue livro em 1970, Dalí declara-se um anarquista e monarquista.

Simbolismo

Salvador Dalí explorou de forma intensa o Simbolismo em seu trabalho. A marca dos relógios misturados que aparecem primeiramente em A persistência da memória e sugerem teoria de Einstein de que o tempo é relativo e não fixo.

O elefante é também uma imagem presente nas obras do Dalí. A sua primeira aparição foi em 1944, em sua obra Sonho Causado Pelo Voo de uma Abelha ao Redor de Uma Romã um Segundo Antes de Acordar.

O ovo é outra imagem frequente na obra de Dalí, o qual expõe a ideal pré-natal e intrauterina, que surge em O grande masturbador e Metamorfose de Narciso e assim utilizá-lo para retratar a esperança e a caridade.

Vários animais também aparecem em todo o seu trabalho, como formigas, caramujo e gafanhotos, por exemplo.

Surrealismo

Salvador Dalí A Persistência da Memória
A Persistência da Memória, 1931

André Breton acusou Dalí de defender o “novo” e “irracional” no “Fenômeno Hitler”, porém o artista rapidamente negou esta alegação dizendo, “Eu nem sou hitleriano de fato, nem de intenção.”

Porém, quando Francisco Franco chegou ao poder no rescaldo da Guerra Civil Espanhola, o seu apoio ao novo regime, entre outras coisas, confirmaram a sua suposta expulsão do grupo surrealista.

No período, André Breton ressaltou o anagrama “Avida dólares”. Dalí contestou, “A única diferença entre Eu e os Surrealistas é que Eu sou o Surrealismo”.

Os surrealistas mais rebeldes falavam de Dalí no passado, como se ele estivesse morto. Diversos membros do grupo como Ted Joans, continuariam tratando a questão de forma dura e polêmica contra Dalí, até a sua morte.

Segunda Guerra Mundial

Em 1940, logo no início da Segunda Guerra Mundial na Europa, Dalí e Gala mudaram-se para os Estados Unidos, onde moraram durante oito anos.

Dalí voltou para a prática do catolicismo. Em 1942, ele publicou sua autobiografia, A Vida Secreta de Salvador Dalí. Um frei italiano, Gabriele Maria Berardi, afirmou ter realizado um exorcismo em Dalí, enquanto ele estava na França em 1947.

Gabriel tinha uma escultura de Cristo na cruz que Dalí havia dado o seu exorcista como forma de agradecimento a ele. A escultura foi descoberta em 2005, e dois peritos em Surrealismo espanhol comprovaram que existia motivos plausíveis para crer em similaridades entre outras esculturas feitas por Dalí

Cursos Grátis Online com Certificado. São mais de 2000 Cursos. Clique no botão abaixo e escolha seu curso:

LISTA DE CURSOS

Foi na sua amada Catalunha que Dalí viveu o resto da vida. Ele recebeu críticas de vários artistas por escolher morar na Espanha enquanto o país era liderado pelo ditador fascista Francisco Franco.

Em 1959, André Breton executou uma exposição chamada de “Homenagem ao Surrealismo”, em que celebra o quadragésimo aniversário do Surrealismo, que incluiu obras de Salvador Dalí, Joan Miró, Enrique Tábara, e a Eugenio Granell.

Com o fim da Segunda Guerra Mundial, Dali continuou mantendo características de pintura técnica e um interesse na ilusão de óptica, ciência e religião.

Em 1968, Dalí gravou um anúncio de televisão para Lanvin chocolates em 1969 planejou o logotipo da empresa Chupa Chups. No mesmo ano, ele foi responsável pela criação do aspecto da publicidade 1969 Festival Eurovisão da Canção, metal e criou uma imensa escultura, que se encontrava no palco do Teatro Real de Madrid.

Principais obras de Salvador Dalí

  •  1922 – Cabaret Scene e Night Walking Dreams
  • 1925 – Large Harlequin and Small Bottle of Rum
  • 1926 – Basket of Bread e Girl from Figueres e
  • 1927 – Composition With Three Figures e Than Blood
  • 1929 – O Grande Masturbador
  • 1929 – Os Primeiros Dias da Primavera
  • 1931 – A Persistência da Memória
  • 1931 – A Velhice de Guilherme Tell
  • 1932 – O Espectro do Sex Appeal,
  • 1932 – O Nascimento dos Desejos Líquidos
  • 1932 – Pão-antropomorfo catalão
  • 1933 – Gala Com Duas Costeletas de Carneiro em Equilíbrio Sobre o Seu Ombro
  • 1936 – Canibalismo de Outono
  • 1936 – Construção Mole com Feijões Cozidos
  • 1937 – Cisnes refletindo elefantes
  • 1937 – Metamorfose de Narciso
  • 1937 – Girafa em Chamas
  • 1938 – España 1938
  • 1940 – A Face da Guerra
  • 1943 – Poesia das Américas
  • 1943 – Criança geopolítica observando o nascimento do homem novo
  • 1944 – Galarina e Sonho Causado Pelo Voo de uma Abelha ao Redor de Uma Romã um Segundo Antes de Acordar
  • 1945 – A Cesta do Pão

    Salvador Dalí La Toile Daligram
    La Toile Daligram, 1972
  • 1946 – A Tentação de Santo Antônio 7
  • 1948 – Os elefantes
  • 1949 – Leda Atômica
  • 1949 – Madona de Portlligat.
  • 1951 – Cristo de São João da Cruz
  • 1952 – Galatea das Esferas
  • 1954 – Crucificação (“Corpus Hypercubus”)
  • 1955 – A Última Ceia
  • 1956 – Natureza-Morta Viva
  • 1958 – Rosa Meditativa
  • 1959 – A Descoberta da América por Cristóvão Colombo
  • 1970 – Toureiro Alucinógeno
  • 1972 – La Toile Daligram
  • 1976 – Gala Contemplando o Mar
  • 1983 – The Swallow’s Tail.

Livros sobre Salvador Dalí

  • Amanda Lear, Mon Dalí, Michel Lafon,‎ 2004, 347 p.
  • Michel Nuridsany, Dalí, Flammarion,‎ 2004, 471 p.
  • Robert Descharnes et Gilles Néret, Salvador Dalí 1904-1989, Taschen.
  • Robert Descharnes et Nicolas Descharnes, Dalí. Le dur et le mou, Sortilège et magie des formes Sculptures et Objets, Eccart, 2003.
  • Robert Descharnes, Dali, l’héritage infernal, Paris, Ramsay-La Marge,‎ 2002.
  • Gilles Néret, Salvador Dalí, 1904-1989, Köln New York, Taschen,‎ 2000.
  • Jordi Puig, Sebastià Roig Dalí, le triangle de l’Ampourdan – Triangle Postals.
  • Ignacio Liaño, Dali, Paris, Albin Michel,‎ 1990.
  • Robert Descharnes, Dali : l’oeuvre et l’homme, Lausanne, Edita – Éditions des Trois Continents,‎ 1984.
você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.