Mitologia Grega – O que é? Termo e Compreensão, Legado e Importância


Etimologia

Mitologia é uma palavra grega que significa cujo prefixo “Mito” significa conto ou narração sacra. No sentido figurado, ganha a conotação de algo inacreditável. Já o sufixo da palavra, que é “logia”, vem do grego logo, que significa palavra, estudo ou ciência. Assim, o termo mitologia grega serve para designar o ato de contar ou narrar estudos e palavras gregas.

Termo e compreensão

Mitologia grega nada mais é do que o estudo de mitos gregos. Ela compreende não somente os estudos, mas os próprios mitos. No entanto, vale lembrar que o termo mitologia é moderno. Os antigos gregos não se referiam assim às suas crenças, e sim como uma religião. Isso ainda acontece atualmente com os neopaganistas helênicos.

Mito e sociedade

Para as crianças gregas, a mitologia era um dos principais temas de aprendizado. Isso para que elas entendessem os fenômenos naturais e outros eventos que aconteciam sem a interferência humana. Lembrando que cada coisa era atribuída a uma entidade.

Alguns estudiosas ainda afirmam que os mitos gregos sofreram um declínio quando houve o advento de formas de calcular o tempo e data-lo.

Além de serem ensinadas com base nos mitos, as famílias importantes e os aristocratas ainda se ligavam genealogicamente aos deuses. Isso para que parecessem seus descendentes.

Eles ainda agradavam os deuses que podiam lhes ajudar. Os comerciantes, por exemplo, faziam de tudo para deixar Hermes contente e conseguir boas vendas.


É importante ressaltar que tudo isso acontecia em um tempo em que a cidade não possuía qualquer organização religiosa oficial. Mas haviam lugares próprios para honrar seus deuses. Isso sem falar em diversos festivais que aconteciam, dedicados à deidades.

Mito e religião

É preciso que haja um esclarecimento entre a diferença de mito e religião. Isso porque os mitos são entendidos como crenças enraizadas e passadas através de relatos considerados fictícios. Assim, eles pertencem à imaginação dos poetas.

Já a religião se propõe à criação de práticas e rituais que tem como finalidade o estabelecimento de vínculos com a espiritualidade.

Então que os textos que na antiguidade eram tidos como sacros, hoje são considerados mitologia grega.

Legado e importância

A Grécia é considerada o berço de nascimento da democracia. Também é da filosofia ocidental, literatura ocidental, Jogos Olímpicos, ciências políticas ehistoriografia.

Os gregos, que eram apaixonados pelo debate, foram os criadores dos ordenamentos políticos de origem democrática. Isso porque era adeptos do compartilhamento de informações e defensores das argumentações.

Tudo isso foi de suma importância para a definição do curso da história ocidental. Importante também para a divulgação da mitologia grega, que tem importante valor atualmente para os estudos filosóficos humanos.

Educação e literatura

Segundo a autora Ana Maria Machado, a mitologia grega pode ser considerada um tesouro da humanidade. Ela é capaz de despertar o entusiasmo de leitores em diferentes épocas.

Existem ainda alguns estudiosos e pesquisadores da área da educação que afirmam que restou para a pedagogia criar interesse e compartilhar a literatura de forma agradável para o aluno.

O fato é que diversos educadores ainda usam a mitologia grega como uma forma de atrair os alunos para a leitura. Isso para que possam ampliar seus conhecimentos de mundo.

Cultura: língua e atividade

É com frequência que os profissionais das áreas de história, filosofia, letras, religião e teatro são solicitados a conhecerem a língua grega. Isso facilita a leitura de têxtis que são referências.

O fato é que dominar o grego clássico oferece uma grande vantagem também na elaboração de materiais escritos na língua portuguesa. Isso pois a sua estrutura traz palavras derivadas do grego. Além disso, o conhecimento de sua etimologia facilita o entendimento de expressões em outras línguas.

Justamente por causa desse aspecto cultural e linguístico é que os mitos são importantes ferramentas para conhecer melhor diversas questões da existência humana.

Preservação, humanismo, psicologia, antropologia

Os gregos podem receber os créditos por muitas contribuições que fizeram ao mundo ocidental atual. Isso através de seus mitos e diversos aspectos de sua cultura, tais como:

  • A cidade autônoma
  • O desenvolvimento do corpo e da mente humana em harmonia
  • A concepção de arte
  • A especulação filosófica

A mitologia foi revista, em diversos campos, nos séculos que seguiram o seu surgimento e a preservação dos seus mitos. Acontecimentos imprescindíveis para que se pudesse compreender o ser humano na visão do humanismo.

Além disso, a mitologia grega ainda influenciou fortemente a filosofia e a parapsicologia. Influenciou também a consciência educacional e ecológica de diversos povos.

Na psicologia, por exemplo, existem diversos símbolos que representam papeis importantes, como a própria psique.

Era dos deuses e dos mortais

Houve uma era de transição entre o tempo em que os deuses viviam sós e o período em que interferiam nos assuntos humanos. Nessa época de transição, deuses e humanos se misturavam de forma livre. Esse período caracterizou um dos primeiros mundos, quando havia maior liberdade.

Ovídio, importante escritor, relatou diversas vezes essas crenças na sua obra Metamorfoses. Ele dividia essas relações frequentemente em dois grupos: os de amor e os de castigo.

Ambos relatavam os envolvimentos dos humanos com deuses, de uma forma ou outra.

Nos contos de amor, muitas vezes era possível encontrar o incesto, violação ou sedução de uma mortal por um deus. Isso sugeria que essas relações deveriam ser evitadas pois raramente têm final feliz.

Poucos casos relatam divindades femininas se relacionando com homens mortais para viver com ele.

Já os contos de castigo, por sua vez, são aqueles que envolvem invenção ou apropriação de algum determinado artefato cultural importante. Isso pode ser visto no mito em que Prometeu roubou o fogo dos deuses. Também quando Tântalo roubou o néctar e a ambrosia diretamente da mesa de Zeus e seus súditos.

Era heroica

A Era Heroica, como o nome sugere, é aquela da mitologia grega em que os heróis viveram. Ela surgiu no Período Arcaico, quando os gregos antigos imaginavam os heróis como personagens de lendas épicas.

Os heróis, embora pudessem ser mortais, eram diferentes dos humanos pois tinham a capacidade de realizar feitos incríveis. Isso de deve, possivelmente, pelo fato de serem filhos da mistura e deuses e humanos.

Depois que ocorreu a exaltação do culto heroico, os deuses e heróis passaram a ser considerados sagrados. Dessa forma, eram evocados juntamente nos juramentos e também nas orações feitas.

A era heroica, contrariamente a era dos deuses, nunca é fixa ou definitiva visto que, embora não nasçam mais deuses, sempre podem surgir novos heróis nos mitos.

Os feitos de Hércules, por exemplo, são considerados como o início da era dos heróis, mas também se juntam a eles a Guerra de Troia, a Expedição de argonáuticae e a Guerra de Tebas.

Hércules e os heraclidas

Alguns estudiosos acreditam que realmente existiu um homem por trás do mito de Hercules. Já outros acreditam que ele era apenas uma alegoria à passagem do sol pelas 12 casas do zodíaco.

Outra teoria, porém, acredita que esse mito provém de outras culturas, sendo uma adaptação de mitos regionais já conhecidos.

Embora existam muitas teorias e especulações, a mitologia grega conta que Hercules era filho de Zeus, deus dos deuses. Sua mãe era uma mortal chamada Alcmena, que era neta de Perseu.

Esse incrível personagem heroico rendeu material para diversas lendas. Era visto como um grande guerreiro com enorme vigor físico, um sacrificador com força capaz de realizar proezas incríveis. Isso tudo, além de ser protegido por itens e armaduras que usava com muita destreza, demonstrando sua superioridade.

Nas artes ele era representado como um forte homem de barba, com uma clava em mãos, pele de leão e músculos dos braços e pernas expostos.

Já na literatura, essa personagem é explorada por Eurípedes através do ponto de vista da sua existência conturbada.

Muitos acreditam que ao morrer, contrário ao destino dos simples mortais, Hércules tenha ido para o Olimpo. Lá passou a viver com os deuses por conta do seu lado divino, tornando-se um deus também.

Argonautas

O épico helenístico de Apolônio de Rodes, que é conservado até a atualidade, conta a mítica jornada de Jasão e os Argonautas. A saga acontece na recuperação do Velo de Ouro da terra de Cólquida.

Jasão, é levado pelo rei Pélias a realizar essa busca. Foi escolhido pois ele havia recebido uma profecia do Oráculo que indicava que um homem de sandálias iria se tornar o seu nêmesis. Jasão perde uma das suas sandálias ao chegar ao reino e então, começa a epopeia.

Praticamente todos os heróis dessa geração, incluindo Hercules, acompanharam Jasão na busca pelo velo. Essa lista ainda contava com diversos outros, tais como Apolo, Teseu e etc.

Casa de Atreu e Ciclo Tebano

Entre a Guerra de Troia (que virá a seguir) e o Argo, do título anterior, existiu uma geração que ficou conhecida por seus crimes, incluindo atos de Tiestes e Atreu em Argos.

Lembrando que ambos e seus descendentes tiveram um importante papel na tragédia da devolução do poder em Micenas.

Já o ciclo de Tebano fala dos sucessos pertencentes a Cadmo, que é o fundador da cidade de Tebas. Fala também do posterior sucesso de Édipo e Laio na mesma região.

Tudo isso originou uma série épica que termina em um saqueio final do local a mando de Epígonis e d’Os Sete Contra Tebas.

Guerra de Troia e consequências

A Guerra de Troia é muito popular no mundo inteiro. Na mitologia grega, ela culmina na conhecida luta entre gregos e troianos. Vale lembrar que nos trabalhos homéricos, as principais histórias já tinham substância e forma. Já os temas individuais só foram desenvolvidos mais tarde.

Por conta da presença do herói Eneias, que era troiano, a Guerra de Troia também passou a ser de grande interesse para o povo romano. Isso porque os acontecimentos de Troia levaram à fundação de uma cidade que posteriormente seria convertida em Roma.

A coleção de poemas épicos da mitologia grega, que narram a Guerra de Troia, começam com os sucessos que levaram ao seu desenrolar, tais como: o pomo de outo, o rapto de Helena, o julgamento de Páris e também o sacrifício de Ifigênia.

Então, os Gregos se organizaram em uma grande expedição para o resgate de Helena. Tudo isso sob o mando de Agamenão, irmão de Menelau, mas os troianos não a libertaram.

A ilíada sobre a Guerra de Troia

O décimo ano dessa guerra é contado pela Ilíada, narrando a disputa ocorrida entre Agamenão e Aquiles, que era considerado o melhor guerreiro da Grécia. Essa obra narra também as consequências decorrentes da morte de Pátrocolo, que era amigo de Aquiles, e de Heitor, que era o filho mais velho de Príamo.

Foi Aquiles o responsável pela morte de ambos, ate que Páris atingiu seu ponto fraco, o calcanhar, ferindo-o mortalmente.

Os gregos tiveram que roubar uma imagem de Palas Atenas feita em madeira antes de tomar Troia. Então, com a ajudar de Atenas, conseguiram construir o Cavalo de Troia, decisivo na conquista da cidade.

O cavalo foi pego pelos troianos como um símbolo de sua vitória sobre o inimigo, sendo levado para dentro dos portões da cidade. O que eles não contavam era que a estrutura carregava guerreiros que saíram da mesma à noite, dominaram os sentinelas e abriram os portões para a entrada do exército grego, que levou a cidade à sua ruína.

Deuses do Olimpo

Na mitologia grega, o Olimpo era a grande morada dos deuses. Lá habitavam 12 deuses, que são:

Zeus

zeus
Zeus

O deus principal, rei dos homens e dos deuses, era o senhor dos céus e da chuva. Tinha como arma um raio representando um relâmpago. Quando havia uma tempestade, era sua fúria se manifestando e tinha o poder de se transformar em uma águia.

É conhecido na mitologia grega por ser mulherengo. Existem muitos mitos nos quais ele tem casos com ninfas, deusas e também humanas. Dessa uniões nasceram diversos filhos semideuses, tais como Perseu e Hércules.

Apolo

Deus do sol e da luz, os gregos o consideravam o próprio sol. Ele conduzia uma carruagem dourada que brilhava para chegar até o oceano no qual os seus cavalos se banhavam.

Artêmis

Deusa da caça e da vida selvagem, tinha cabelos e olhos escuros e era deusa da noite enluarada. Ela prometeu ser eternamente virgem e dispensava a presença de homens pois era uma caçadora, usando um arco e flecha prateado.

Hera

Lendas da mitologia grega
Hera

Esposa de Zeus, a rainha do Olimpo era a deusa do matrimônio, da família e do parto. Ela era considerada muito ciumenta e vingativa com as amantes de seu marido e com os filhos gerados. O pavão era sua ave favorita.

Hefesto

Filho de Hera e Zeus, ele era forjador, arquiteto e o construtor responsável pelas obras do Olimpo. Ele foi o forjador do raio de Zeus, seu pais, com a ajuda dos ciclopes.

Os gregos antigos acreditavam que era esse deus o responsável pelas erupções dos vulcões, quando ele estava forjando dentro de uma montanha. Ele era tão feio quando nasceu que Hera, sua mãe, o jogou do alto do monte Olimpo.

Poseidon

mitologia grega deuses
Poseidon

Essa figura era irmão de Hades e Zeus, considerado o dono do oceano, habitando as profundezas do mar com sua esposa Anfitrite. Ele tinha o poder de causar tsunamis e terremotos com apenas um movimento de seu tridente. Era para ele que os navegantes rezavam a fim de conseguir águas tranquilas e proteção contra monstros marinhos.

Afrodite

Deus do amor, do sexo e da beleza, ela era uma das mais belas deusas da mitologia grega. Nasceu quando Urano teve seus testículos cortados por Cronos e os arremessou ao mar.

Da espuma formada, veio a virgem Afrodite. No entanto sua presença ocasionou muita confusão, pois diversos deuses queriam conquistá-la. Zeus também estava nessa lista.

Para evitar problemas, Zeus a casou com Hefesto. Isso também foi uma forma de agradecimento pelo seu raio.

Atena

mitologia grega historias
Atena

Deusa da sabedoria, ela era invencível na guerra. Nem mesmo Ares, o deus da guerra, era páreo para ela. Isso porque enquanto ele prezava sempre guerras violentas, a deusa era muito estratégica. Atena era filha de Zeus com Métis. Sua primeira esposa e carrega consigo a mais sábia das aves: a coruja.

Hermes

Filho de Maia e Zeus, ele era o mensageiro dos deuses e o responsável por levar as almas até o submundo de Hades. Era tido como deus dos comerciantes, viajantes e também dos ladrões e trapaceiros, ou seja, aquilo que requer astúcia e habilidade.

Mitologia grega deuses do olimpo
Ares

Ele era representado com um capacete com asas, sandálias e um caduceu, que era uma vara com serpentes entrelaçadas.

Ares

Deus da guerra, filho de Hera e Zeus, Ares tem um comportamento violento e sentia prazer ao observar a dor alheia, tendo o poder de matar um humano apenas com um grito.

Dionísio

Deus das festas e do vinho ele era filho de Zeus com Sêmele, que rogou a Zeus que ele lhe mostrasse todo o seu esplendor, sem saber que era uma estratégia de Hera. Zeus avisou que um mortal não aguentaria tal visão e por isso, veio a falecer por causa dos trovões e raios de Zeus.

Demeter
Deméter

Como estava grávida, Zeus retirou o filho de seu ventre e o costurou em sua coxa para que terminasse de ser gerado.

Deméter

Filha e Réia e Cronos, deuses primordiais, ela é a deusa das terras, das plantas, das estações do ano e das colheitas. Seu filho Pluto foi gerado no romance com trágico desfecho que teve com Iásion, que morrer por causa de um raio enviado por Zeus ao vê-los juntos.

Principais seres mitológicos da Grécia Antiga

A mitologia grega é cheia de seres míticos incríveis, tais como:

  • Ninfaa: que era entidades femininas que moravam nos bosques e campos, distribuindo alegria.
  • Eróis: mortais filhos de deuses com humanos, tais como Hércules e Aquiles.
  • Sátiros: criaturas com corpo humano, mas patas e chifres de bode.
  • Centauros: criaturas com a metade do corpo de homem e outra metade de cavalo.
  • Sereias: mulheres com a parte superior do corpo de humana e a parte inferior de peixe que costumavam atrair os marinheiros com o seu canto
  • Nereidas: jovens e belas mulheres que moravam nas profundezas do Mar Egeu
  • Quimera: misto de cabra e leão que tinha o poder de soltar fogo pelas ventas
  • Górgonas, monstros mulheres que tinham o cabelo de serpentes, como a Medusa.

Curiosidades

A mitologia grega é recheada de histórias incríveis e muitas curiosidades, com detalhes inimagináveis, tais como:

  • Aquiles escapou de participar da Guerra de Troia se vestindo de mulher: isso por causa de um pedido de sua mãe que sentiu que ele morreria e implorou que ele não se apresentasse. Ele foi desmascarado pelo astuto Ulisses.
  • Medusa já foi bonita: ela era uma bela mortal de cabelos loiros enquanto suas irmãs eram feias e imortais, fazendo com que Poseidon se apaixonasse por ela. Tendo sido pessoalmente escolhida por Atenas para servir em seu templo, ela se relacionou com Poseidon lá mesmo. Atena para se vingar da afronta a deixou feia.
  • Os gregos eram enterrados com moedas nos olhos e bocas: para que fosse possível pagar ao barqueiro Caronte pela travessia até o mundo dos mortos.
  • Cadmo fundou Tebas ao seguir uma vaca: uma profecia do Oráculo afirmou que Cadmo seria rei, mas para isso teria que seguir uma vaca e fundar a sua própria cidade. Ao se deparar com a tal vaca marcada, ele a seguiu por muitos dias até que o animal se deitou e faleceu.
  • A expressão narcisista teve origem no personagem Narciso, que se apaixonou por sua própria imagem ao ver-se refletido em um lado.

Pronto, agora você já sabe um pouco mais sobe a mitologia grega, seus deuses, figuras mitológicas e criaturas, bem como algumas curiosidades. Aproveite!


Gostou desse artigo? Dê seu voto!

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (No Ratings Yet)
Loading...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *