Figuras de Linguagem – O que é? Resumo e Exercícios

Quando nos comunicamos com os outros, é comum sentirmos a necessidade de demonstrarmos nossa ideia de uma forma mais original possível, não tão literal como de costume. Queremos expressar não só nossos pensamentos como também os sons. Para nos ajudar a exprimirmos nossas ideias, usamos o recurso linguístico chamado de figuras de linguagem.

Faça um Curso Online Grátis com Certificado válido em todo Brasil. Acesse agora através do botão abaixo e escolha o seu curso.

São mais de 2000 cursos totalmente gratuitos! Qualifique-se!

LISTA DE CURSOS

O que é figura de linguagem?

As figuras de linguagem são, como falamos, recursos linguísticos muito utilizados para tornar as mensagens que emitimos mais expressivas. Servem para ampliar o significado da mensagem e substituir algum termo dentro da frase, quando faltam termos adequados. Dão mais ênfase à comunicação.

Todas as figuras de linguagem

Seguem abaixo as figuras de linguagem mais comuns:

Metáfora

É uma forma de comparação que não utiliza os termos comparativos (como, tal como, dentre outros). A comparação é feita de forma implícita. Ex: “Meu pensamento é um rio subterrâneo”. (Fernando Pessoa).

Ironia

Quando falamos o contrário do que pensamos. Ex: meu namorado é um santo. Só me traiu cinco vezes.

Metonímia

É quando se substitui uma palavra por outra por haver alguma relação entre ambas. Ex: não leu Machado de Assis (a obra de Machado de Assis).

Paradoxo

É a aproximação de palavras opostas, mas que se completam. Ex: “estou cheio de me sentir vazio. (Renato Russo).

Comparação

Ao contrário da metáfora, na comparação o termo comparativo aparece de forma explícita, ligando os elementos. Ex: sua pele é como seda.

Personificação (ou prosopopéia)

Figuras de Linguagem
Exemplos de Onomatopeia

É quando se confere caraterística própria de seres humanos a seres inanimados ou irracionais. Essas características podem ser ações, sentimentos, qualidades, etc. Ex: O jardim olhava as crianças sem dizer nada.

Hipérbole

É quando há um exagero intencional ao expressar a ideia. Ex: ela chorou rios de lágrimas.

Pleonasmo

É quando se repete a mesma ideia usando palavras diferentes na mesma oração. Caracteriza-se pela redundância. Serve para dar ênfase. Ex: sair para fora.

Antítese

É o uso de termos que se opõem. Ex: o amor e o ódio andam juntos.

Eufemismo

É quando usamos termos que atenuam o impacto desagradável de outros termos. Suaviza o discurso. Ex: Entregou a alma a Deus.

Zeugma

Ao contrário da elipse, na figura zeugma omitimos um termo que já foi mencionado antes na oração. Ex: Eu chego cedo sempre, só não quando estou sem carro.

Polissíndeto

Ocorre quando se repetem conjunções para dar mais expressividade ao texto. Ex: não canto nem danço, nem escrevo, nem desenho.

Elipse

A elipse ocorre quando omitimos uma palavra na frase que não irá alterar o sentido final da mensagem. Ex: na sala de aula, apenas cinco ou seis alunos.

Assíndeto

Já nessa figura de linguagem , ocorre a omissão da conjunção. Ex: escolhi, paguei, levei pra casa.

Onomatopeia

Ocorre quando usamos palavras que reproduzem alguns sons ou ruídos de objetos ou seres vivos. Ex: o sino da igrejinha faz “blem,blem blem”!

Anáfora

Caracterizada pela repetição de palavras para dar mais ênfase e expressividade para a mensagem. A mesma palavra, ou várias palavras, repetem-se de forma sucessiva. Ex:

“Vi uma estrela tão alta,
Vi uma estrela tão fria!
Vi uma estrela luzindo
Na minha vida vazia”.

Faça um Curso Online Grátis com Certificado válido em todo Brasil. Acesse agora através do botão abaixo e escolha o seu curso.

São mais de 2000 cursos totalmente gratuitos! Qualifique-se!

LISTA DE CURSOS

Manuel Bandeira

Sinestesia

Aparece quando misturamos as sensações com os sentidos. É um recurso semântico que objetiva dar mais expressividade ao texto. Ex: dirigiu-me uma palavra amarga e fria.

Assonância

Repete de forma harmônica os sons das vogais em uma oração. Ex: Essa desmesura de paixão
É loucura do coração
Minha foz do Iguaçu
Pólo sul, meu azul
Luz do sentimento nu
(Linha do Equador – Djavan)

Paronomásia

Está relacionada com palavras parônimas, que possuem o som e escrita semelhantes. Por isso recebeu esse nome. Relaciona-se com a sonoridade dos termos. Ex: o docente aplicou a prova essa tarde para os discentes.

Gradação

É quando as ideias surgem no texto de forma crescente ou decrescente. É como uma lente de aumento que aproxima ou afasta aquilo que está sendo observado. Ex: “Aqui…além…mais longe por onde eu movo o passo.” Castro Alves

Aliteração

Ocorre quando há a repetição dos sons de consoantes iguais ou parecidas. Confere ao texto um efeito sonoro. As famosas frases trava-língua. Ex: o rato roeu a roupa do rei de Roma.

Aliteração

Figuras de som

As figuras de som ou de harmonia são uma categoria das figuras de linguagem que têm como objetivo a repetição de sons. Elas conferem mais expressividade ao texto através da sonoridade. As principais figuras de som são: assonância, aliteração, paronomásia e onomatopeia.

Exemplos

Seguem alguns exemplos de figuras de som:

Assonância: “O pato pateta pintou o caneco” (Vinícius de Moraes)

Aliteração: o peito do pé de Pedro é preto.

Paronomásia: aprendeu nas aulas por meio da apreensão dos conhecimentos.

Onomatopeia: a fada-madrinha agitou sua varinha de condão e plim! A transformação estava feita.

Exercícios de figura de linguagem

Vamos praticar um pouco? Seguem alguns exercícios sobre figuras de linguagem:

1 – Identifique qual das alternativas trata-se de ironia:

a) Os pés da cadeira estão quebrados.

b) Excelente aquele eletricista. Colocou aqui em casa vários fios desencapados.

c) O relógio faz tic-tac.

d) Quem com ferro fere, com ferro será ferido.

2 – O trecho “meu namorado serrou os pés da mesa” se refere à qual figura de linguagem?

a) Onomatopeia

b) Metonímia

c) Catacrese

d) Antítese

3 – Associe a coluna da direita com a coluna da esquerda:

1 – Metáfora                                                (   ) Ela é apenas uma pobre mulher rica

2 – Sinestesia                                             (   ) Dormia acordado enquanto estudava

3 – Antítese                                                 (   ) Ele sentiu o frio sabor da derrota

4 – Paradoxo                                               (   ) Aquele homem é forte como um touro

Poemas com figura de linguagemEufemismo

As figuras de linguagem são muito utilizadas em poemas para tornar fácil a ideia que se deseja transmitir. Conferem mais emoção, sentimentalismo e expressividade aos versos. Seguem alguns exemplos de poemas com figuras de linguagem:

Figura de linguagem – Eufemismo

“Consoada

Quando a Indesejada das gentes chegar
(Não sei se dura ou caroável),
talvez eu tenha medo.
Talvez sorria, ou diga:
– Alô, iniludível!
O meu dia foi bom, pode a noite descer.
(A noite com os seus sortilégios.)
Encontrará lavrado o campo, a casa limpa,
A mesa posta,
Com cada coisa em seu lugar”.

(Manuel Bandeira)

Figura de linguagem – Paradoxo

“Amor é fogo que arde sem se ver;
É ferida que dói e não se sente!
É um contentamento descontente;
É dor que desatina sem doer;”

(Camões)

Figura de linguagem – Prosopopéia

“Quando os sons dos violões vão soluçando,
Quando os sons dos violões nas cordas gemem,
E vão dilacerando e declinando,
Rasgando as almas que nas sombras tremem.”
(Cruz e Sousa)

Figura de linguagem – Antítese

“Tristeza não tem fim
Felicidade sim (…)”

(Vinícius de Moraes)

Faça um Curso Online Grátis com Certificado válido em todo Brasil. Acesse agora através do botão abaixo e escolha o seu curso.

São mais de 2000 cursos totalmente gratuitos! Qualifique-se!

LISTA DE CURSOS


Gostou desse artigo? Dê seu voto!

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (No Ratings Yet)
Loading...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *