Éter – Grupo funcional, Fórmula, Para que serve? Nomenclaturas


A natureza nos oferece uma infinidade de elementos utilizados em tudo em nossa vida. Um exemplo que revolucionou a cirurgia foi a anestesia com éter, no ano de 1840, em Boston. Imagina como eram as cirurgias antes da anestesia? A anestesia conhecida até aquele momento era à base de pólvora e álcool, aplicada via oral nos pacientes.

Essa, sem dúvida, foi uma descoberta que marcou a história. Porém, os éteres não são usados somente como anestésicos. São muitas as suas aplicações. Vamos conhecer um pouco sobre elas e como esse composto se apresenta.

O que é o éter?

O éter apresenta o oxigênio, carbono e hidrogênio como elementos químicos. Por isso, é tida como uma função oxigenada. A característica estrutural principal dessa função está no fato de termos dois radicais orgânicos que se ligam a um átomo de oxigênio.

A classe dos éteres (de função éter), é formada pela substituição do hidrogênio da hidroxila de fenóis e alcoóis. Os éteres, são compostos formados por um átomo de oxigênio que se liga a dois hidrocarbonetos, ou seja, radicais orgânicos. Os ésteres são bem voláteis e pouco polares. Quando têm mais de quatro carbonos por oxigênio, se tornam solúveis em água.

Embalagem de álcool éter

Os éteres apresentam-se como compostos incolores, pouco solúveis em água, com cheiro agradável. No entanto, é preciso evitar sua inalação, pois pode resultar em dependência. Podem apresenta-se nas fases líquida, sólida e gasoso, estando em condições ambientes. Apresentam pequena densidade se comparados com a água.


Para que serve o éter?

O éter é pouco reativo. Basicamente, sofre apenas reações de clivagem-quebra por ácidos. Por esse motivo, é muito utilizado como solvente para outros compostos orgânicos.

Como exemplo de éter que atua como solvente clássico de laboratório, temos a dioxana, tetraidrofurano (THF) e o dimetoxietano (DME).

A venda do éter é fiscalizada. Seu uso apresenta riscos à saúde, uma vez que causa irritação ao trato respiratório e afeta a pressão arterial. O composto também é usado para sintetizar cocaína.

Estrutura e ligações do éter

As ligações dos ésteres apresentam-se como C – O – C, em uma ângulo de, aproximadamente, 120° entre as ligações e com distâncias C – O de cerca de 1.5 Å.

Os ésteres apresentam a seguinte estrutura geral: R – O – R. Ou seja, possui um elemento de oxigênio ligado a dois elementos de carbono.

A cadeira carbônica do éter pode ter dois radicais iguais ou não. E podem ser alquila, que são os radicais sem estrutura aromática, ou podem ser arila, que são aqueles que possuem estrutura aromática.

Nomenclaturas dos éteres

Os éteres possuem uma nomenclatura oficial, que segue uma regra fixa. Regra essa que foi estabelecida pela União Internacional de Química Pura e Aplicada (IUPAC). Porém, existe uma outra regra bem conhecida e que é usada no vestibular.

  • Nomenclatura oficial da IUPAC: prefixo do radical menor + ÓXI + hidrocarboneto maior. Exemplo: H3C – O – CH2 – CH3 (metoxietano).
  • Nomenclatura usual dos vestibulares: ÉTER + radical menor + prefixo do radical maior + ílico. Exemplo: H3C – O – CH2 – CH3  (éter metil-etílico).

Éteres importantes

Vejamos abaixo os éteres mais importantes:

  • Éter Dietílico: também chamado de éter sulfúrico, apresenta-se como um líquido volátil e seu vapor é inflamável. Usado como analgésico, relaxa os músculos e de fácil administração. É tido como o éter mais importante usado na medicina.
  • Óxido de Etileno: é considerado um germicida bem eficaz em baixa concentração. Indicado para esterilização de suprimentos hospitalares, pois tem a capacidade de penetrar rapidamente em vários materiais.
  • Fluoroxeno: inflamável. Usado como analgésico em intervenção rápida.
  • Éter Divinílico: elemento tóxico aos rins e ao fígado. Analgésico também usado em intervenções rápidas.
  • Metoxiflurano: analgésico usado em obstetrícia e pequenas operações. Ação e recuperação mais lentas.
  • Eugenol: anti-séptico e analgésico. Usado para aliviar dor de dente em odontologia e, também, com o ZnO para formar material usado em molde.

Pergunta dos leitores

Quais são as principais aplicações dos éteres?

Sua aplicação se dá de diversas maneiras: substâncias orgânicas de produtos solventes (gorduras, resinas de nitrocelulose, perfumes, alcalóides, óleos) cola forte, e até para fabricar seda artificial.

Porém, sua principal aplicação é na medicina e farmacologia, onde é usado na preparação de medicamentos e como analgésico. Um exemplo é o éter etílico, que foi utilizado pela primeira vez em 1842, como cirúrgico anestésico.


Gostou desse artigo? Dê seu voto!

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (No Ratings Yet)
Loading...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *