EBITDA – O que é? Como calcular? Vantagens e Desvantagens


As informações de lucro e prejuízo são ótimos indicadores para medir o andamento da empresa, porém não são suficientes para verificar o desenvolvimento financeiro e determinar projeções de crescimento. Por isso, outras técnicas forma desenvolvidas na gestão financeira dos negócios, para avaliar a eficiência dos processos, produtividade e conhecer o potencial de lucratividade. Uma técnica bastante utilizada é o cálculo do EBITDA.

O EBITDA é um indicador financeiro, conhecido também como Lajida, que apresenta os recursos gerados pela empresa por meio das atividades operacionais, sem contar os impostos e outros possíveis efeitos financeiros.

O que é EBITDA?

O EBITDA é importante para administradores e empresários de empresas, pois possibilita a análise não somente do resultado final, mas sim, de todo o processo. É um indicador muito usado no mercado de ações, pois mede a produtividade da empresa, ponto essencial para um investidor. Este termo é muito utilizado por analistas financeiros em empresas de capital aberto para análise de contabilidade.

Em linhas gerais, as empresas usam as informações do cálculo do EBITDA para ter consciência do fluxo de caixa do negócio, se tornando de extrema importância para o gerenciamento, já que permite analisar o desempenho financeiro e não financeiro da empresa. Assim, gestores e investidores passam a confirmar mais na perfomance da sua empresa e podem comparar os EBITDAs dos concorrentes.

O que significa a sigla EBITDA?

EBITDA é a sigla de “Earnings Before Interest, Taxes, Depreciation and Amortization”. Em português significa “Lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização”, também conhecida no Brasil por LAJIDA.

Vantagens e desvantagens

As vantagens do EBITDA para as empresas são:


  • Por não se basear apenas em cálculos de financiamentos e contabilidade, é uma ferramenta importante para medir a produtividade e eficiência do negócio.
  • Com o aumento do EBITDA ao longo dos anos, é possível constatar que a empresa é capaz de promover produtividade e eficiência.
  • A comparação do EBITDA das empresas concorrentes com a sua, possibilita a análise de competitividade entre elas no mercado.
  • Por ser um indicador universal, a comparação dos EBITDAs entre as empresas pode ser aplicado até para empresas de diferentes países. A comparação é possível pois não são considerados tributos e questões locais.

Porém, o EBITDA apresenta algumas limitações, desvantagens, não é um indicador perfeito. Confira algumas delas:

  • Por não englobar uma possível alta alavancagem, não deve ser o único indicador usado pelas empresas. Pois, pode comprometer os resultados futuros.
  • Se a empresa for investidora em ativos financeiros, O EBITDA não é indicado. Porque os esforços econômicos recompensados e os valores ativos vão passar batido pelo indicador, não são considerados na análise.
  • Um ponto essencial para entender o valor real de uma empresa é a liquedez dela, aspecto não indicado pelo EBITDA.
  • É preciso ficar atendo pois um resultado positivo pode esconder certos prejuízos financeiros do negócio.

Como calcular:

Para fazer o cálculo do EBITDA é preciso calcular primeiro o lucro operacional, que é resultado da subtração da receita líquida, das despesas líquidas (despesas menos receitas com juros e outros itens financeiros), das despesas operacionais e do custo dos produtos vendidos (CPV).

Depois disso, é só somar os juros ao lucro operacional, a amortização e depreciação que estão incluídas no CPV e nos gastos operacionais.

Para calcular o EBITDA é preciso saber o lucro operacional da empresa. Este valor é aquele lucro gerado pela receita operacional líquida subtraindo os custos, as despesas administrativas, operacionais e comerciais. Isto é, exclui-se qualquer movimentação financeira.

Para entender melhor a estrutura do cálculo, a fórmula para obter o EBITDA é:

EBITDA = Lucro Operacional Antes do Imposto de Renda e Receitas/Despesa Financeira + Depreciação + Amortização

Portanto, a primeira informação que devemos saber é o lucro operacional. Para chegar nesse valor, é necessário subtrair, a partir da receita líquida, o custo das despesas operacionais e mercadorias vendidas (CMV).

Para o cálculo do EBITDA é necessário somar ao lucro operacional a depreciação e amortização, que estão nas despesas e custos operacionais.

Aplicando a ebitda: exemplo de como usar a EBITDA

Vamos a um exemplo prático! Suponhamos uma empresa XYZ com os dados:

Despesas com vendas: R$ 4.200,00
Despesas gerais: R$ 2.100,00
Despesas administrativas: R$ 800,00
Despesas com depreciação: R$ 410,00
Despesas com amortização: R$ 620,00

Primeiro somam-se as despesas operacionais, de acordo com a fórmula:

Despesas operacionais = Despesas gerais + espesas com vendas + despesas com depreciação + despesas administrativas + despesas com amortização

Sendo assim:
Despesas operacionais = R$ 4.200,00 + R$ 2.100,00 + R$ 800,00 + R$ 410,00 + R$ 620,00 = R$ 8.130,00

Agora é o cálculo do lucro operacional líquido:

Lucro operacional líquido = receita operacional líquida – (despesas operacionais + custos dos produtos vendidos)

Considerando a receita líquida como R$ 23.000,00, o CMV de R$ 1.800,00 e as despesas operacionais, calculadas anteriormente, de R$ 8.130,00, chegaremos ao lucro operacional líquido:

Lucro operacional líquido = R$ 23.000,00 – (R$ 1.800,00 + R$ 8.130,00) = R$ 13.070,00

Enfim obtemos ao cálculo do EBITDA. Considerando os resultados do lucro líquido (R$ 13.070,00) + depreciação (R$ 410,00) + amortização (R$ 620,00), o resultado da empresa XYZ será de R$ 14.100,00.


Gostou desse artigo? Dê seu voto!

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (No Ratings Yet)
Loading...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *