Andrógeno – Significado, Hormônio, Gênero, Excesso em Mulheres


Andrógeno é um termo utilizado para qualquer composto natural ou sintético. Normalmente um hormônio esteroide, que causa o desenvolvimento e manutenção das características masculinas em vertebrados ao se associar a receptores andrógenos.

Isso inclui a atividade dos órgãos sexuais masculinos. É através dos andrógenos que temos evidenciadas as nossas diferenças físicas, distinguindo as características do homem e da mulher.

O que é andrógeno?

Andrógeno ou androgênio é um hormônio que dá origem ao desenvolvimento de características próprias do sexo masculino. O crescimento de pelos no corpo, a barba, o desenvolvimento do tórax, a voz e até o jeito de andar, falar e se comportar conta com a ação de características hormonais.

O andrógeno mais conhecido é a testosterona. Ela se dá sob ação da hipófise, se formando nos testículos. A testosterona estimula o desenvolvimento dos órgãos sexuais e das características sexuais secundárias masculinas, como os pelos, por exemplo.

Outros hormônios masculinos são:

  • Desidroepiandrosterona (seu efeito principal é a regulação do desejo sexual feminino).
  • Dihidrotestosterona (um metabólito da testosterona)
  • Androsterona;
  • Androstenediona;
  • Androstenediol;

Os androgênios foram descobertos em 1936 e a partir deles que foram criados os hormônios sexuais femininos, chamados de  estrógenos.

Qual o significado de andrógeno?Andrógeno

Andrógeno vem da palavra grega ανδρος, que significa homem. Andrógeno é o termo usado na medicina para definir os hormônios masculinos.

Excesso de androgênios em mulheres

Os androgênios são responsáveis pelas mudanças que ocorrem no corpo masculino, iniciando-se na puberdade. Ele ajuda na produção de pelos e no desenvolvimento do órgão genital masculino.

O excesso de produção de androgênios pode causar o crescimento de pelos indesejáveis. Portanto, alguns homens acabam desenvolvendo as suas características físicas mais rápidos do que outros.

Algumas mulheres podem sofrer com o excesso de androgênios. Isso acontece devido á sensibilidade dos folículos pilosos. Também pode estar presente no sangue materno ou produzido pelas glândulas supra-renais fetais.

O excesso de androgênios em mulheres pode afetar os períodos menstruais, provocam a perda da forma do corpo feminino. Outros sinais de masculinidade são englobados, como voz grave, o clitóris dilatado e o crescimento dos músculos dos ombros.

A obesidade, pressão arterial alta e a diabetes também podem provocar o excesso de pelos no corpo feminino.

Além da quantidade excessiva de pelos, que crescem no sovaco, no rosto (em forma de bigode), nas pernas e nos braços, o hirsutismo (excesso de pelos) também pode provocar doenças, como amenorreia, por exemplo, que é a  ausência de menstruação.

O excesso tanto em homens quanto em mulheres de androgênios também provoca acnes. Outra manifestação em excesso de androgênios em mulheres, ocorrem no desenvolvimento anormal das características sexuais masculinas em uma fêmea, chamado de virilização.

Andrógeno ou Andrógino?Andrógenos famosos

A palavra “andrógeno” constitui-se da junção dos termos gregos “andro” (homem, masculino) e “gen” (sufixo que exprime a ideia de gerar, produzir). Por ser usado algumas vezes a grafia “andrógeno” e não “androgênio”, existe um certo estranhamento com a palavra parônima “andrógino”.

Andrógino significa o mesmo que hermafrodita, que possui ao mesmo tempo órgãos reprodutores ou características masculinas e femininas. Portanto, andrógeno com “e” não são indivíduos, mas sim condições que originam ou estimulam características masculinas, como tórax, barba, etc.

Já os andróginos com “i” são indivíduos que possuem características físicas e comportamentos tanto do sexo masculino quanto do sexo feminino. Sendo assim, os andróginos homens podem usar adereços femininos e as mulheres, adereços masculinos. Porém, podem não ter fatores que estimulem uma aparência unicamente masculina.

Quais remédios são anti-andrógenos?

Assim como existem tratamentos hormonais para trans, também existem medicamentos para combater a ação dos hormônios masculinos, que são os androgênios. Conhecidos como anti-andrógenos, esses medicamentos são usados para inibir a ação hormonal sobre os folículos.

Existem remédios por via oral e também loções para o couro cabeludo. Um desses medicamentos chama-se finasterida. É usado para o tratamento da calvície, tendo eficácia para homens com queda de cabelo, porém não possui o mesmo resultado em mulheres.

Outra opção para estimular o crescimento de pelos pode ser através de suplementação vitamínica e substâncias de uso local. Já para quem deseja inibir o crescimento dos pelos, existem algumas injeções locais de corticoides.

O acetato de ciproterona é um remédio que ajuda no desaparecimento da acne, diminuindo os efeitos dos hormônios androgênios. O remédio flutamida é outro anti-andrógeno, que diminui de forma eficaz os hormônios masculinos, principalmente na região capilar.

Androsteron é outro medicamento anti-andrógeno bastante conhecido. Além dos remédios, o tratamento para o excesso de pelos pode ser controlado através de medicamentos naturais.

Se alimentar bem, comendo frutas e verduras contribui bastante. Se alimentar com menos carnes vermelhas e mais carnes magras e peixes também contribuem para o fim do excesso de pelos.

Evitar consumo excessivo de álcool, cigarro, comidas gordurosas, beber entre 5 a 9 copos de água por dia e praticar exercícios físicos por pelos menos 30 minutos por dia ajuda bastante em pessoas com excesso de hormônios masculinos.

É primordial consultar o seu médico antes de iniciar o tratamento com qualquer tipo de medicamento.


Gostou desse artigo? Dê seu voto!

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (No Ratings Yet)
Loading...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *