PostHeaderIcon O ESPAÇO GEOGRÁFICO

O ESPAÇO GEOGRÁFICO

 

Passini S. Almeida

 

Ensino e representação

 

Questão principal: Como ensinar conceitos relativos à nação de espaço e de que forma representá-los?

 

Três aspectos básicos.

 

a)Não se pode ensinar conceitos sobre o espaço, apenas trabalhar para que a criança possa “construir a noção de espaço, por meio de um processo psico-social no qual ela elabora conceitos espaciais, através de sua ação e interação em seu meio, ao longo de seu desenvolvimento bio-psico-social.

 

b) Importância do aprendizado espacial para deslocamento e ambientação e mais que isso, deslocação e ambientação e mais que isso, para que construam uma visão consciente e crítica de seu espaço social.

 

c) A escola deve contribuir para o domínio espacial da criança.

 

O domínio espacial no contexto escolar.

 

Exemplo : O professor pede ao aluno que desenhe a sala. O aluno coloca todas as carteiras juntas. O aluno não tem noção de espaço.

 

Esta é a preocupação das autoras para que o aluno possa representar através de maquete etc, para ordenar a noção de espaço e com ele estar construindo esta noção.

 

O estudo geográfico está centrado na leitura de mapas.

Não se ensina conceitos. O professor deve propor atividades para estas crianças construírem esta noção de espaço.

 

Destacam-se três aspectos.

 

a) Psicosocial

Elabora conceitos espaciais através de sua ação e interação

 

Piaget.

Etapas pré-estabelecidas e leva determinado número de anos para acontecer.

Bio-social-psico – Amadurecimento biológico ajustado ao meio e faz com que a criança desenvolva habilidades. Não pedir tudo que a criança pode.

A criança não estrutura para entender. A criança só começa a entender quando interage com o meio.

 

Vigotsky

 

Biológico, social e cultura. Ação e interação com o meio. A criança pode desenvolver o aparelho cognitivo e cabe ao professor atuar nesse desenvolvimento proximal.

Nessa interação a criança pode desenvolver o cognitivo.

 

b) Deslocamento ambientação – Visão consciente - crítica

Quando a criança sabe se localizar

Transferindo isso para o mapa estaremos utilizando as informações geográficas contidas no mapa.

 

Localização orientação e representação

São conhecimentos , habilidades que devem ser trabalhadas desde a 1ª série, pois são conceitos geográficos necessários para a análise geográfica.

 

Deve-se partir do espaço mais próximo da criança para o mais distante, não em círculos concêntricos, mas pelo cotejamento entre as mais diversas instâncias espaciais. A realidade é o ponto de partida e de chegada.

 

Observar a realidade, identificar seus elementos, classificá-los, compará-los e representá-los por meio de mapas, possibilitando assim a análise de um dado fenômeno. A análise se dá quando explicamos a organização e produção de um dado espaço.

 

Saber se localizar, se orientar e representar esse local onde a criança / aluno se encontra.

 

De que forma? Não siga um método, etapa por etapa, pode se relacional com coisa mais distantes dela.

 

1º passo que deverá ser trabalhado com o aluno : observar o meio onde ele está.

 

Na hora de registrar / desenhar o que se observou muitas vezes o que a criança desenhou é diferente do que ela viu, porém para a criança são idênticos.

 

 

A importância da leitura de mapas

 

Mapa é a representação codificada de um espaço. Ele transmite por meio de uma linguagem cartográfica uma informação sobre o espaço. Contem: signos, redução e projeção.

 

A leitura de mapas começa pela própria decodificação

 

Metodologia indicada

 

a) Observação do título

O espaço representado, seus limites e informações

 

b) Observação de legenda ou decodificação

Relacionar os significantes e o significado dos signos contidos na legenda.

 

c) Leitura dos significantes / significados espalhados no mapa

Procurar refletir sobre aquela distribuição, organização

 

d) Escala gráfica ou numérica

Defende a idéia de que o aluno primeiro deve aprender a fazer mapas ser o codificador, para que se torne um leitor consciente da linguagem cartográfica.

 

Três aspectos devem ser considerados:

a)A Função simbólica

b)O conhecimento da utilização do símbolo, representando uma idéia ou objeto

c)O espaço a ser apresentado.

 

Fazer a criança deixar de sentir o centro da sala, se descentrar.

Exercícios práticos ajudam nessa descentralização. Exemplo: Quem está a sua frente , atrás, direita/esquerda.

O que o aluno faz concretamente , fará com os mapas.

 

Ao ser observado o espaço, será uma imagem, e quando analisado o espaço será o espaço geográfico

 

A criança precisa identificar os elementos , classificá-los e somente quando ela analisar comparando um com o outro e entendendo seu funcionamento que o espaço geográfico deixará de ser paisagem.

 

A criança quando na 1ª séria ainda está achando que ela é o ponto de referência. No início a criança só faz este tipo de relação. Aos poucos vai enxergando e estabelecendo relação de outros pontos.

 

A análise só começa depois de seguir todos os passos. Quando esta paisagem se transforma em espaço geográfico e vira uma análise. (Quando o professor trabalha com a criança os elementos do desenho fazendo relação à noção de espaço)

 

Três momentos nesse processo

 

a) Tarefas operatórias

Atividades de orientação, observação de pontos de referência, localização com a utilização de retas coordenadas como pontos de referência, coordenação de pontos de vista, proporcionalidade, conservação de forma, tamanho e cumprimento

 

b) Atividades de codificação do cotidiano

Criação de significantes

 

c) Leitura propriamente dita

Decodificar, ligando significante e o significado, para melhor compreensão da legenda do mapa.

 
Visitantes
Visualizações de Conteúdo : 5950672