PostHeaderIcon O ANALFABETISMO NOS MUNICÍPIOS

O ANALFABETISMO NOS MUNICÍPIOS

 

Para conhecer a definição de estratégias de combate ao analfabetismo, é importante também conhecer a sua distribuição entre os municípios, unidade administrativa básica da Federação. Para ilustrar esse enfoque, considerando-se uma classificação em ordem decrescente do número de analfabetos, constatamos que 125 municípios concentram um total de analfabetos e 586 municípios respondem pela metade do total de analfabetos de 15 anos ou mais no País.

 

Analisando os cem primeiros Municípios com a maior concentração de analfabetos, constata-se que eles estão distintamente distribuídos em praticamente todas as unidades da Federação. Nesta lista aparecem 24 Municípios de capital, com a cidade de São Paulo encabeçando a lista daqueles com o maior número de analfabetos, 383 mil , seguida da cidade do Rio de Janeiro, com 199 mil. É surpreendente a situação do Distrito Federal, que detém a melhor condição educacional do País, mas concentra no entanto , 83 mil analfabetos, estando em oitavo lugar entre os Municípios com o maior número de analfabetos, conforme mostra a Tabela 5.

Uma outra abordagem que pode ser feita considera o número de analfabetos em cada município. Organizando esse quantitativo municipal em intervalos (Tabela 6) , identifica-se a existência de 2.142 municípios brasileiros com até mil analfabetos.

 

Esses Municípios, com uma população residente que varia de 795 habitantes, com 25 analfabetos (Borá- SP) a 29.358 habitantes, com mil analfabetos (Timbó - SC), têm, em média, uma população residente de 5.470 habitantes e possuem, ao todo, 1.125.191 de analfabetos, cerca de 6,9% do total de analfabetos de 15 anos ou mais do País. Esses Municípios de pequeno porte estão distribuídos, de forma mais predominante, nas Regiões Sudeste, Sul e Centro-Oeste.

 

Por outro lado, 242 Municípios apresentam mais de 10 mil analfabetos em sua população residente. Esse contingente corresponde a um total de 5.381.624 analfabetos, representando 33% da população analfabeta do País.

A população residente nesses Municípios varia de 34 mil habitantes, 10 mil dos quais analfabetos (Araioses-MA) a 10.400.000 habitantes, com 383 mil analfabetos (São Paulo - SP)

 

A metade deles, ou seja, 121 municípios têm até 129 mil habitantes. Nesse grupo de 242 Municípios com mais de 10 mil analfabetos estão grandes centros urbanos e todos os Municípios das capitais.

 

Em termos relativos, as maiores taxas de analfabetismo estão em Municípios localizados nas Regiões Norte e Nordeste. Esse quadro é preocupante em função das baixas condições socieconômicas dessas localidades que, diante de suas características, promovem a manutenção dessa situação de exclusão social.

 

As análises estatísticas dos 5.507 Municípios brasileiros recenseados em 2000 mostram que existe forte correlação entre a taxa de analfabetismo na população de 15 anos ou mais e a taxa de freqüência à escola.

 

Assim, o município brasileiro cuja população de 15 anos ou mais possui o mais elevado número médio de séries concluídas é Niterói - RJ, e sua taxa de analfabetismo é de apenas 3,6%.

 

Por outro lado, a população do município de Guaribas - PI, tem , em media 1,1 série concluída, uma taxa de analfabetismo de 15 anos ou mais de 59% e uma taxa de analfabetismo  funcional de 92,7%

 

Em 1.796 municípios, a escolarização média da população de 15 anos ou mais é inferior a quatro séries concluídas, ou seja, estão na condição de analfabetos funcionais. Dos 5.507 Municípios brasileiros apenas 19 asseguram à sua população uma escolarização média que corresponda ao ensino fundamental completo (oito séries concluídas).

 

 
Visitantes
Visualizações de Conteúdo : 5958742